GENEALOGIA



Última actualização em Dez 2013



Este site compreende as seguintes secções

1. Homenagem

2. Conteudo desta base de dados - informações

3. Fontes

4. Apelido Fiadeiro - origens

5. Família Silva Fiadeiro

6. Descendentes de Lourenço Barradas

7. Descendentes de Mathews Burnett

8. Descendentes de Jean Désirat

9. Descendentes de Manuel Xavier (Monteiro)

10. Descendentes de Mathias de Gouvea

11. Descendentes de António Lopes de Oliveira (Grainha)

12. Ficheiros para descarregar

13. Apoio técnico




Homenagem


Em homenagem e à memória do


Prof. Dr. Joaquim Barradas da Silva Fiadeiro

1901 - 1990

meu pai e o verdadeiro "pai" deste trabalho!

Como complemento de uma vida dedicada à ciência do seu ramo, a veterinária, nos seus últimos anos de vida, dedicou muitas horas de trabalho a compilar dados para estabelecer a árvore genealógica dos Fiadeiros.

Além deste ramo, também seguiu o caminho da sua ascendência materna, os Barradas, assim como os ascendentes da mulher, Maria Celeste, os Burnett, os Désirat e os Monteiro, incluindo bastantes colaterais, o que se traduziu num razoável acervo de nomes interrelacionados entre si, apresentado em folhas dactilografadas, o que dificultava a sua apreciação global.

Herdeiro deste valioso património, infelizmente por falecimento do seu autor, o seu fillho mais velho, José Manuel, passou estes dados todos a computador, o que veio permitir uma nova visão e maior alcance a todo este material.

Infelizmente, muitas das fontes de conhecimento pessoal já faleceram também, o que tem vindo a dificultar o complemento dos dados biográficos da maior parte das pessoas, como datas de nascimento, casamento e morte,faltas essas que não se notavam nas folhas dactilografadas, mas que se revelam essenciais numa base de dados computarizada.

Pouco a pouco, com a colaboração de muitos dos nossos familiares, e muita pesquiza na Torre do Tombo, nos arquivos distritais e nas conservatórias, temos vindo a preencher as lacunas, bem como actualizar os registos, com novas aquisições ( graças a Deus, embora devagar, ainda nos vamos reproduzindo ), e as inevitáveis baixas ( que Deus os tenha em bom descanso ).

Este trabalho, é mais uma missão do que trabalho, é para se ir fazendo e sem fim à vista, está e estará sempre incompleto e desactualizado, mas estará menos se aqueles que consultem esta página se derem ao incómodo de nos fornecerem dados que possuam, ou se disponham a procurar também pelo seu lado. Embora seja uma Lapalissada, aqui também se aplica o velho chavão: unidos seremos mais fortes e iremos mais longe! Ficam desde já avançados os agradecimentos pelas colaborações que nos enviarem.


Conteudo desta base de dados - informações

Normalmente, uma base de dados genealógicos para uma família, começa pelo próprio casal, acrescentam-se os filhos, os pais de ambos os conjugues, os netos, os avós, e assim por diante.

À medida em que os ramos da árvore se vão expandindo, começa a fazer sentido incluir pessoas que, não sendo ascendentes directos, tios p. ex, são considerados de interesse para melhor conhecimento da família, e a expansão continua, com mais tios avós, etc,.

No seguimento desta expansão, começam a surgir como que árvores próprias e que apenas estão ligadas à nossa por afinidade de um elemento da nossa própria árvore.

Ao fim de alguns anos passamos a ter uma autêntica floresta de árvores, umas pequenas, outras grandes, todas elas relacionadas de qualquer modo com a nossa, mas nem sempre de modo fácilmente reconhecível.

No caso desta nossa base de dados, isso tem vindo a merecer uma especial atenção da minha parte, pois o volume de informação que já recolhi, permite uma visão mais global da rede de ligações que acaba por se detectar, com pontos de encontro convergentes na mesma rede, mas oriundos de árvores muito separadas entre si.

Este é o caso recente da rede alentejana, que agora temos na base de dados, e inclui muita informação de Carvalhos, Godinhos, Rosados, Camões, etc, e que constitui a prova real de que afinal somos todos primos uns dos outros.

Para além disso, a existência de tanta informação pode ser de grande interesse para outrem, como foi o caso de ainda há dias em minha casa, mostrando estas ligações no computador, a uns primos afastados, tive a experiência gratificante de partilhar com eles a profunda emoção de terem descoberto a identidade de uma sua avó, que nos registos deles aparecia como mãe incógnita e portanto não sabiam quem era.

Viver um momento destes compensa todas as muitas horas, dias meses e anos de trabalho !

Explorar uma base de dados da dimensão da nossa, exige programas específicos e nem todos o conseguem de modo satisfatório.

Por esse motivo, apenas incluo neste site apresentações das 5 linhas principais da família centrada nos meus pais Prof. Dr. Joaquim Fiadeiro e Maria Celeste, nomeadamente, Fiadeiro e Barradas do pai, Burnett, Désirat e Monteiro da mãe, agora acrescida dos ramos Gouveia, da minha mulher Maria Luiza, e Grainha, bisavó paterna.

Posso fazê-lo e tenho muito gosto nisso, fornecer apresentações para qualquer linha de que tenha dados. É só pedir !

Em termos de prestação de serviço para Vós, temos secções separadas para cada um dos ramos da família e onde dispõem de alguma informação específica desse ramo, bem como um botão de entrada, para poderem consultar essa secção online, ou seja, directamente no vosso computador, sem necessidade de software adequado, nem conhecimentos avançados.
Trata-se de um ficheiro só de consulta, não podendo ser alterado a partir do Vosso computador.
Se quizerem fazê-lo, ou apenas guardá-lo, podem puxar o arquivo correspondente, ele encontra-se ao dispor na secção de Ficheiros para descarregar.

Por motivos de protecção de dados, conforme já referido, todos os ficheiros com dados pessoais completos, estão protegidos por meio de uma password.

Tal como fizémos para as várias linhas descendentes, também temos uma versão HTM da base de dados completa, que pode ser descarregada (na respectiva secção), ou visionada daqui mesmo, bastando para isso clicar aqui.

Base de dados completa.Htm

e o mesmo em forma de lista

Base de dados completa.pdf

Na secção de Apoio técnico, serão apresentados tópicos relativos a experiência com diversos programas de genealogia, links para sites de interesse, e tudo aquilo que nos vier a parecer oportuno e útil para quem se dedique a estas lides.

Todas estas páginas têm música de fundo, em formato mid , que ocupa nenos espaço, mas a qualidade sonora depende muito da vossa placa de som. Os botões que estão no fundo permitem fazer pausa e emudecer o som, para quem já estiver enjoado, pois embora tenha procurado escolher trechos bonitos e suaves, aquilo é tipo realejo, chega ao fim e volta ao princípo.

No respeitante aos de e da aparecerem De e Da, já conseguimos dar a volta ao problema, mas os programas de genealogia que usamos são de origem americana, na sua maior parte, e interpretam os de e da como integrantes do apelido seguinte e daqui resulta que nas relações de nomes, apareçam os que procuramos, não no seu lugar certo, mas sim em de Carvalho, ou da Silva, p.ex., . Mais uma vez, paciência pois não se pode ter tudo como queremos.

Finalmente, desculpamo-nos antecipadamente por alguns erros que possam encontrar.
Parte deles poderá ter origem na nossa base de dados primária, mas alguns são devidos a que se torna necessário recorrer a diversas manobras de conversão para conseguir as apresentações que aqui encontram, as quais são conseguidas em diferentes programas, e é nessas passagens que aparecem erros que nos escapam.
Agradecemos vivamente que nos comuniquem os erros que encontrarem, e que esperamos não serem muitos.

Pós finalmente, e por agora, também lá no fundo, e em todas as páginas, está uma caixa de correio à espera de um vosso contacto.
Acreditem que é bom receber notícias vossas, e então se contiverem contributos, ainda melhor!


Fontes

Muita da informação que aqui se encontra, provém de pesquisa própria, mas também se torna necessário recorrer, em casos pontuais, a fontes externas, algumas publicadas.
Nesses casos, nas notas pessoais dos indivíduas em causa, estão indicadas as fontes usadas.

Sempre que foi possível o contacto, obtive dos seus autores a autorização para utilizar os dados por eles publicados, e aproveito para aqui referir em especial a minha gratidãoà Dr.ª Maria Antónia F. Pires de Almeida, ao Dr. António Manuel Prates Godinho de Carvalho e à Sr.ª D. Maria da Conceição de Albuquerque e Castel Branco Rosado de Vasconcelos, os primeiros por permitirem o uso dos dados constantes nos livros que publicaram, e a esta pelo acesso aos apontamentos e livros da autoria de seu pai o ilustre genealólogo Manuel Rosado Marques de Camões e Vasconcelos.

Refiro, para quem estiver interessado:

- GENEALOGIAS ALENTEJANAS, de António Manuel Prates Godinho de Carvalho
- FAMILIA E PODER NO ALENTEJO - Elites de Aviz 1886-1941, da autoria de Maria Antónia F. Pires de Almeida
- OS MARQUES DO CASAL DO GORJÃO, 1973, da autoria de Manuel Carvão Guimarães
- Os meus Vaz de Camões - 1926, de Manuel Rosado Marques de Camões e Vasconcelos
- O BEATO JOÃO DE BRITO E A FAMÍLIA FRENE - 1941, de Manuel Rosado Marques de Camões e Vasconcelos
- ALBUQUERQUES DA BEIRA - 1948, reeditado em 2003, de de Manuel Rosado Marques de Camões e Vasconcelos
- OLIVEIRAS E CUNHAS - 2 Vol - 1962, de Manuel Rosado Marques de Camões e Vasconcelos
- GENEALL - Base de dados de genealogia online
- eTOMBO - Base de dados de registos paroquiais online, www.etombo.com, a ser transferida para http://digitarq.arquivos.pt/


Apelido Fiadeiro - origens

Até há pouco, desconhecíamos outros Fiadeiros fora da nossa família, mas acabámos por descobrir que não estamos sós, ou melhor, já não estivémos sós, pois encontrámos pistas nesse sentido.

Esta descoberta levou-nos no entanto a explorar um pouco mais as origens deste apelido.

Dada a extensão deste parágrafo, e para não alongar esta página, desdobrámos este tema em tres espaços separados, onde este se aborda com maior detalhe: um de carácter geral, e dois outros familiares.
Tem a seguir os link para essas páginas, com toda a informação que conseguimos obter.

Apelido Fiadeiro-origens

Outro ramo Fiadeiro

Família Silva Fiadeiro-origens


Família Silva Fiadeiro

Nesta rubrica, é apresentada a descendência de Luiz Affonso, pai de Luiza da Silva, a mais antiga referência até agora encontrada ( Século XVII ).
Para consultar este ramo em Html, clique no link a seguir:

Família Silva Fiadeiro-Htm

e o mesmo em forma de lista

Família Silva Fiadeiro-pdf


Descendentes de Lourenço Barradas

Beneficiando dos recursos do eTombo, via Internet, e do contacto directo com os arquivos de Portalegre e da CM de Elvas,foi-nos posível, agora, aprofundar as origens deste ramo da nossa família, de apelido Barradas.
Neste momento, o n.º 1 passou a ser Lourenço Barradas, pai de Maria Gonçalves Barradas, mulher de Luiz Vaz, natural de S. António de Ayamonte - Monforte, pai de Manoel Barradas, este natural de S. Saturnino, termo de Benavila, cujos assentos ainda não encontrámos, apenas sabemos por certo que este último faleceu entre setembro de 1717 e Maio de 1718, e que casou quatro vezes e foi pai de António Barradas, nascido em Maio de 1718 em S. Saturnino, termo de Fronteira, por sua vez pai de Joze Barradas, natural de Vaiamonte, cujos assentos de baptismo já estão disponíveis.
Joze Barradas foi lavrador na Herdade de Valbom, concelho de Aviz, deixou testamento, de que temos cópia, e gerou Micaella Maria que teve, pelo menos, dois filhos, Joze da Roza Barradas e Joaquim Barradas, ambos naturais de Alter do Chão e cujos assentos de baptismo também já encontrámos.
Ambos se estabeleceram na vila de Sêda, onde casaram e tiveram descendência.
As respectivas descendências estão apuradas a quasi 100%, e já constam nesta actualização, ficando apenas por acabar as ligações laterais de alguns, como é o caso dos Costa e Pimentel, do Gavião.
Não esquecer que estamos no Alentejo, em que práticamente todos são primos entre si, mais perto ou mais afastados, de modo que ainda sobra trabalho para uns bons anos !
Um dos filhos de Joze da Roza Barradas, de nome Joaquim Barradas Junior, é o nosso bisavô e que era até agora referido apenas como Joaquim Barradas.

Por curiosidade, a seguir apresentamos as assinaturas destes nossos antepassados, obtidas de registos de baptismo em que foram padrinhos.

A seguir, tem um link para uma nova página com elementos referentes às origens deste apelido.

origens dos Barradas

Para ver este ramo em Htm, clique no link a seguir

Descendentes de Lourenço Barradas-Htm

e o mesmo em forma de lista.

Descendentes de Lourenço Barradas-pdf




Descendentes de Mathews Burnett

Samuel Geoge Burnett era o 1º deste ramo, natural de Londres, Inglaterra, onde nasceu a 18 de Setembro de 1818, e foi baptizado em 18 de Novembro na Igreja de St. George the Marthyr em Londres .
Sendo filho de Mathew Burnett e Ursula Taylor Traylen, o novo n.º 1 passou a ser Mathews Burnett, sendo que obtivémos os registos paroquiais ingleses deste casamento e do batismo do Samuel, estando ainda em aberto saber das origens do apelido Burnett para além de Mathew.
Samuel veio para o nosso país, onde foi rebaptizado católicamente em 1843, na Igreja do Seminário dos Inglesinhos, casou em 1846, e faleceu, em Lisboa, em 29 de Março de 1900.

Uma pesquiza mais profunda trouxe novidades, pelo que sugiro consultar

origens dos Burnett

e também forneceu muitos dados sobre as linhas descendentes de Eliza e de Samuel Burnett, sendo que a descendência tem sido feita pela via maternal, pelo que estamos no limiar do desaparecimento deste apelido nas futuras gerações (actualmente só encontramos os Burnett Lapido).

De notar que o apelido Burnett é muito comum, quer em Inglaterra, quer nos EUA.
Já efectuámos diversas pesquizas , mas sem resultado, é que os ingleses tem os registos classificados por paróquias separadas, tal como cá, mas dispersos por muitas confissões diferentes e muito parcos nas informações constantes nos registos, o que complica sobremodo as pesquizas.
Com os novos dados, talvez possamos vir a ter melhores resultados.

Uma pesquiza no 118 apresenta 17 entradas, das quais apenas os Burnett Lapido pertencem a este ramo.

Para ver este ramo em Htm, clique no link a seguir

Descendentes de Mathews Burnett-Htm
e o mesmo em forma de lista

Descendentes de Mathews Burnett-pdf



Descendentes de Jean Désirat

O n.º 1 deste ramo continua a ser Jean Désirat, pai de August Désirat, anterior 1º deste ramo.
Nasceu em 1892, em Dépau - França, e foi criado na Casa Real, e terá vindo de França, em data ainda não conhecida, embora saibamos que teve um filho em Lisboa, em 1816, e terá regressado a França, onde teve mais filhos, em 1821 e 1823.
Regressou a Lisboa, também em data desconhecida, onde faleceu em 19 de Abril de 1861

Auguste nasceu em Bayonne - França, em 1823, veio para Lisboa em 1832, exercendo a profissão de marceneiro.
Aqui casou, em 1849, e deixou descendência, da qual fazemos parte, sendo bisavô na nossa falecida mãe Maria Celeste.

Irmão de Auguste, António já nasceu em Lisboa, em 1816, e a sua descendência também está incluida.

Maria Margarida Celestina, irmã destes, embora filha de outra mãe, nasceu também em França - Beguiós, Bayonne , em 1821, veio para Lisboa em 1833, e casou com Jean Baptiste Collomb, natural de Rives, Departamento de Isère - França, em 1856.

Uma pesquisa recente nos registos de nascimento em Bayonne, dentro do período 1817 a 1825, não permitiu encontrar qualquer Desirat, o que sugere que os processos canónicos que dispensaram a apresentação de papéis, e foram baseados em testemunhos que juravam que ambos tinham nascido e sido baptisados em Bayonne, não eram verdadeiros.

Do antecedente referimos a linha referente à filha de Augusto, Maria das Dores que casou em 1888 com António Eliseu de Macedo, barão de S. Cosme e de que apresentamos a descendência.

Finalmente conseguimos apurar uma nova linha referente a mais um filho de Augusto Désirat, também de nome Augusto, de cuja existência tínhamos referência, mas ainda não a tínhamos descoberto.
Suspeito de que ainda viremos a encontrar mais algum ou alguns irmãos, por simples observação da sequência de datas de nascimento dos filhos, em que ainda se notam alguns intervalos com possibilidade de terem sido preenchidos.
Estes desirats devem ter genes de coelho, que se reflectem pela descendência fora !

Ainda há algumas dúvidas para esclarecer, embora já muitas se tenham vindo a resolver, pelo que algumas das linhas descendentes aqui referidas, ainda estão sujeitas a rectificação !

A seguir, tem um link para uma nova página com elementos referentes às origens deste apelido.

origens dos Désirats

Para ver este ramo em Htm, clique no link a seguir.

Descendentes de Jean Désirat-Htm
e o mesmo em forma de lista

Descendentes de Jean Désirat-pdf



Descendentes de Manuel Xavier (Monteiro)

Domingos Augusto Monteiro era o 1º deste ramo, natural de Alter do Chão, novos dados dizem-nos ser filho de José Francisco Xavier Monteiro, por sua vez filho de Manuel Xavier, igualmente naturais de Alter do Chão e que passou a ser o nº 1 deste ramo, sendo o trisavô paterno da nossa mãe Maria Celeste.

Já conseguimos documentar alguns registos paroquiais, e esclarecer as relações entre os Monteiros e os Barões de Mesquita, de quem José Francisco foi feitor, em Alter do Chão, tendo o filho Domingos casado com Elutéria Rosa, afilhada do Barão de Mesquita, em 1871, falecida em 1873, dias após o nascimento da filha Eleutéria Rosa, que deu descendência ( Flores ).

Em 1877, Domingos voltou a casar, desta vez, com a nossa bisavó Josefina.

Mantemos pesquisas para percebermos as origens dos Monteiros em Alter.

Quanto à descendência, salvo a muitas falhas do costume, é das melhor documentadas. Como é evidente, procurar Monteiros nas listas telefónicas vai afogar-nos de certeza, não serve.

Para ver este ramo em Htm, clique no link a seguir

Descendentes de Manuel Xavier-Htm
o o mesmo em forma de lista

Descendentes de Manuel Xavier-pdf




Descendentes de Mathias de Gouvea

Este ramo dos Gouveias resulta do desenvolvimento da relação da ascendência da minha mulher Maria Luiza Seixas Lopes, tal como o meu pai fez com a ascedência da minha mãe, os Désirat, Burnett e Monteiro.

Numa base de dados viva, como é o caso desta, há sempre lugar para desenvolvimentos e assim ampliamos este nosso mundo relacional, sendo que existe sempre uma linha que une quaisquer duas pessoas aqui registadas, embora por vezes difícil de traçar.

Estes Gouveias, estabeleceram-se na área do Monte de Caparica, Porto Brandão, nos finais do Século XIX, oriundos duma zona bem delimitada perto de Seia, especialmente nas freguesias de Santiago e de S. Romão, sendo que esta última também é sede dos Silvas do nosso ramo Fiadeiro (curiosa coincidência).

Por sorte nossa, estão disponíveis na Tore do Tombo os microfilmes com os registos paroquiais do concelho de Seia, o que permitiu seguir esta linha até ao Sec. XVII, e chegámos até Mathias de Gouvea, referido como pai de João de Gouvea nascido em 1697 " ...dizem ser pai Mathias de Gouvea mosso solteiro.."

Em 1736 casou o referido João de Gouvea. onde consta ser filho de Mathias de Gouvea e Ursela, solteira mas " ...não declarão os nomes dos avos..."

Mathias de Gouvea faleceu em Janeiro de 1733, constando no assento ser solteiro e ter feito testamento numcupativo, o que veio práticamente a por um selo na identificação da sua ascendência.

Por curiosidade, informa-se que se denominava cumpativo a forma de testamento verbal feito à hora de morte perante testemunhas.

No caso presente, o segredo, se eventualmente lhes foi transmitido, terá morrido com com as testamunhas que nem sequer foram identificadas.

O assento de batismo de Ursela encontrámos, mas o de Mathias de Gouvea ainda não, em parte devido ao mau estado de algumas páginas de uma deficiente microfilmagem.

É possível que o processo em curso de digitalização venha a permitir voltar à pesquisa em data não muito longinqua.
Até lá, e por agora ( Dezembro de 2010 ) damos por encerrados os trabalhos.

Para ver este ramo em Htm, clique no link a seguir.

Descendentes de Mathias de Gouvea-Htm
e o mesmo em forma de lista

Descendentes de Mathias de Gouvea-pdf




Descendentes de António Lopes de Oliveira (Grainha)

O ramo Grainha está relacionado conosco atravéz da nossa bisavó Maria José do Patrocínio Amaral Grainha, e despertou-nos especial interesse por ter tido um percurso semelhante ao do nosso ramo Fiadeiro, eram de apelido Oliveira e adoptaram o Grainha com efeito retroativo.

A seguir, tem um link para uma nova página com elementos referentes às origens deste apelido, que nesta data ainda se encontra em construção.

origens dos Grainhas

Para ver este ramo em Htm, clique no link a seguir.

Descendentes de António Lopes de Oliveira-Htm
e o mesmo em forma de lista

Descendentes de António Lopes de Oliveira-pdf




Ficheiros para descarregar

Base de dados completa-Htm

Base de dados completa-pdf

Família de José da Silva Fiadeiro-Htm

Família de José da Silva Fiadeiro-pdf

Descendentes de Lourenço Barradas-Htm

Descendentes de Lourenço Barradas-pdf

Descendentes de Mathews Burnett-Htm

Descendentes de Mathews Burnett-pdf

Descendentes de Jean Désirat-Htm

Descendentes de Jean Désirat-pdf

Descendentes de Manuel Xavier-Htm

Descendentes de Manuel Xavier-pdf

Descendentes de Mathias de Gouvea-Htm

Descendentes de Mathias de Gouvea-pdf

Descendentes de Manuel Lopes de Oliveira-Htm

Descendentes de Manuel Lopes de Oliveira-pdf


Apoio técnico

Nesta secção, iremos fornecer informações sobre software próprio para genealogia, de acordo com a nossa experiência pessoal, links de interesse, quer para obter programas, quer para outras bases de dados em sites diferentes. Neste momento, estamos ensaiar diversos programas e esperamos ainda este ano mostrar trabalho.

Entretanto, estamos à disposição para esclarecer dúvidas e dar aconselhamento individual, incluindo o fornecimento de software adequado aos fins em vista.

Neste momento, além de qualquer questão que me queiram colocar, temos já a questão do acesso ao ficheiro da base de dados em formato GEDCOM, o qual, como acima vai dito, na secção n.º 2, deixa de estar disponível na Net, por razões de protecção contra possíveis abusos, incluindo alteração de dados e subsequente publicitação de dados errados, e que só será disponibilizado mediante contacto comigo.
É o caso do Geneall, p.ex., em que os dados que lhes oferecemos são de 2001 e em boa parte estão errados, sendo difícil actualizá-los, por serem muitos e terem que ser feitos um a um.

De notar que os ficheiros constantes neste site são actualizados semestralmente, pelo que a sua utilização em conjunto com outros dados que lhes queiram acrescentar, vai necessitar de manobras periódicas de refrescamento, que não sendo de dificuldade transcendente, não são própriamente copy & paste.

Quem pretenda ter a sua própria árvore genealógica, com, ou sem, novos ramos, e ligada, ou não, à nossa, sugiro que me contacte para procurarmos a melhor solução para o seu caso pessoal.

Para seu descanso, informo que não cobro pelo trabalho!

continua em construcção!